Antes de iniciar essa leitura, é  importante que você entenda que não desejamos esgotar ou nos tornarmos proprietários de toda a verdade sobre o assunto. Você  é livre e deve ser um pesquisador da Palavra de Deus e dos assuntos que edificam sua vida.

Alguns conceitos:

O termo adoração chegou ao nosso vocabulário moderno a partir do termo anglo-saxão “weorthscipe”. Este posteriormente evoluiu, através do inglês, para “worthship”

(“Worth”, significa valor) e depois para worship.

Isto conclui atribuir valor a um objeto. Logo, adora a Deus é dar, declarar a Ele supremo valor, porque só Ele é digno, valioso, pessoa ilustre, merecedor, etc (Worthy).

“Um novo olhar sobre o significado da Adoração”

O objeto do mais profundo respeito e veneração de um a pessoa recebe a sua adoração (amor profundo e respeitoso). Este objeto pode ser o Senhor, um falso deus, ou até mesmo uma “coisa”. Torna-se o foco emocional do adorador e governa seus pensamentos e etilo de vida, em direta proporção à sua sinceridade.

O adorador reconhece sua dependência para com este objeto, “deus”, o seu deus, e fica admirado ao contemplar o poder e a majestade deste seu “deus”.

Uma irmã em Cristo, chamada Keith Miller, sugere que a “Adoração é o alvo de maior foco, ou o que é focalizado mais intensamente na vida de uma pessoa”.

Quando se trata do nosso Senhor, expressamos essa apreciação, amor profundo e respeito por quem Ele é e por aquilo que Ele fez. Nós devemos nos dispor com toda a nossa natureza emocional, mental, espiritual, o físico, em busca de alcançar o coração de Deus em adoração (louvor, gratidão, etc). Trata-se de uma “busca intensa do nosso ser em encontrar, em experimentar, em expressar um verdadeiro relacionamento com Deus”.

Uma pessoa pode tornar-se semelhante ao objeto que adora. Um relacionamento de amor entre um cristão e Deus ajuda a esse cristão a se tornar parecido com Deus. O Salmo 115.8 diz: ”tornem-se semelhantes a eles (neste caso eram falsos deuses) os que os fazem e quantos neles confiam”. Se os filhos das trevas tornam-se iguais a falsos “deuses”, nós que somos Filhos da Luz nós tornaremos cada dia mais semelhantes a nosso Senhor,”transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito” 2ª Coríntios 3.18.

Uma das colunas ou fundamentos da adoração é a “interação entre a natureza do nosso Deus e o nosso próprio ser” – D.Benson. Nós recebemos sobre nós mesmos os atributos do que ou de quem nós adoramos.

As definições e o entendimento de adoração se tornam mais bem focadas e muito mais claras, através de encontros pessoais com Deus. No individual e na maioria das vezes na adoração coletiva, que é quando estamos reunidos como Igreja do Senhor.

James F. White diz que. “Definições podem se tornar as experiências mais significativas. Mas a experiência da adoração cristã na vida de alguém é absolutamente necessária para que se entendam as definições”.

Lembremos de que, falar ou escrevermos sobre adoração sem ao menos buscarmos ter essa experiência é  vão.

Então, agora mesmo peça ao Amigo Espírito Santo que lhe conceda experiências de/em adoração.

Um abraço, até a próxima e permaneçamos na Paz e Graça.

Thiago de Souza

Ministro de Adoração e Missões PIBVF.

A Deus Toda Glória, toda Honra e todo o Louvor!